Noticias

ICIEG e Unitel+ entregam prémio à vencedora da 2ª edição do Concurso Nacional Contos “Igualdade de Género

A vencedora da 2ª edição do Concurso Nacional Contos “Igualdade de Género”, Romise Barreto, clássico hoje da Unitel T + um portátil como estímulo para continuar a escrever, com uma garantia ainda de ver publicado o seu conto na plataforma Nuvem de Livros.

A entrega do prêmio, que teve lugar ontem na sede da Unitel T +, na cidade da Praia, foi considerada pela vencedora do conto do concurso como “impar”, por ver reconhecido, a nível nacional, o trabalho realizado.

“Ao escrever esse conto, deixei a minha opinião sobre o tema, particularmente, no que se refere à violência baseada no gênero, já que muitas vezes tenho ouvido pessoas justificando a violência como forma de amor”, disse.

Romise Barreto acrescentou ainda que ao escrever sobre o tema, pensa ter “quebrado” o tabu de que a violência é uma forma de amor, por sentido que “quem ama não bate”, mas sim “cuida”.

Quanto à desigualdade do género, a vencedora da 2ª edição do Concurso Nacional Contos “Igualdade de Género” diz acreditar que o país, paulatinamente, vai vencer essa luta, pelo que recomenda que esse trabalho deve ser feito em casa, com a distribuição igualitária das tarefas aos meninos e às meninas.

Para a presidente do Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade de Género (ICIEG), Rosana Almeida, os adolescentes, por serem a “faixa etária que vai mudar Cabo Verde”, devem ser “estimulados a darem a sua opinião sobre alguns temas ”, Mesmo que seja em forma de escrita.

“Romise Barreto, além deste prémio, foi nomeada como embaixatriz da causa género, o que lhe atribui responsabilidade enorme de falar, por onde passar, da não-violência, sobretudo no namoro”, disse, ao entregar à vencedora um diploma de mérito da ICIEG.

Aproveitou ainda para informar que o conto, um ser publicado na plataforma “Nuvem de Livros” da Unitel T +, vai ser adoptado pela CPLP, em cada um dos países da comunidade, como actividade a ser introduzida em todas as escolas.

A directora de marketing da Unitel T +, Ercia Paim, realçou que a empresa tem engajado nesse concurso do ICIEG, porque “acredita na igualdade do género e porque pensa que é na idade juvenil que se pode fazer a diferença para o futuro de Cabo Verde” .

Manifestou ainda o interesse da Unitel T + em continuar a patrocinar o Concurso Nacional Contos “Igualdade de Género”.

O conto “O Preço do Silêncio” relata a história da personagem “Dina”, que era permanentemente maltratada pelo marido “Valdo”, um homem “agressor e consumidor do álcool”, dentro de casa e diante dos filhos.

A história do maltrato termina com a denúncia da filha maior da Diná, Eliane, que não era descendente do Valdo.

O Concurso Nacional Contos “Igualdade de Género” foi criado pelo ICIEG em 2018 e tem com o propósito promover o conhecimento e o aprofundamento das questões do género entre os jovens do ensino secundário.

A primeira vencedora da 1º edição do Concurso Nacional Contos “Igualdade de Género” foi Jennifer Rosa, estudante da Escola Secundária Horace Silver, da ilha do Maio, com o conto “Amar até doer”?

Créditos:  http://videos.sapo.pt/8N1YaBaLWZAfjNQhsZDW?jwsource=cl